VIDRO TEMPERADO

VIDRO TEMPERADO

O vidro temperado antes de chegar a uma residência, ele passa por vários processos, um deles: de aquecimento e resfriamento de forma muito rápida. É neste momento que se cria uma resistência e endurecimento muito grande contra impactos. Ele é muito flexível e ao mesmo tempo resistente. Possui uma propriedade que nenhum outro vidro tem. Este tipo de vidro é considerado de segurança, porque quando quebrado ele fragmenta em pequenos pedaços, tornando-se menos cortante que o vidro comum.
E possui resistência mecânica de quatro a cinco vezes superior que o vidro comum. Porém, este tipo de vidro não permite novos cortes, furos ou recortes depois de ter sido acabado. A resistência do material pode ser reduzida até mesmo com as opacificações. Nas instalações com ferragens e box é onde são os vidros temperados são totalmente utilizados.
Para a utilização de vidro na construção civil, as normas brasileiras indicam que o vidro comum somente pode ser instalado a partir de 10 cm da cota do piso.Abaixo desta cota, é preciso especificar vidros de segurança para o envidraçamento. Devem utilizar este tipo de vidro, vitrines, portas ou divisórias que não tenham proteção adequada.

VIDRO TEMPERADO E SEU TRATAMENTO

Vidro temperado e seu tratamento de têmpera é submetido durante sua fabricação o que o torna mais resistente a choques mecânicos e térmicos, preservando suas características de composição química e transmissão luminosa. É submetido a um tipo de aquecimento controlado que aumenta sua temperatura a cerca de 650° C e, já em seguida, passa por um brusco resfriamento e isso acaba acontecendo um choque térmico responsável pela elevada resistência mecânica neste processo de têmpera.
No processo de têmpera horizontal, com os vidros transportados em roletes evitam marcas de pinças características da têmpera vertical em suas laterais. Este sistema permite também a produção de vidro temperado em grandes chapas e pequenas espessuras.

VIDRO PARA ILUMINAÇÃO E CALOR DO SOL

Escolha bem o tipo de vidro que será instalado para a janela e porta de sua casa, pois o vidro incolor comum irá afetar muito mais através de raios solares e calor na parte interna da casa. Já o vidro temperado, ele evita a incidência de raios UV e repele o calor do ambiente interno de sua casa.
Em relação ao vidro fumê (vidro comum), testes já realizados atestam que este vidro ele retém muito mais calor que o próprio incolor. Existe uma teoria errada sobre a questão de vidro fumê repelir o calor, ao contrário do que se pensa ele retém muito mais calor do que o incolor. Então, quando for contratar um profissional é sempre bom ficar atento á promessa de conforto térmico, se há mais ou menos fator U no vidro que será colocado.

Procure utilizar vidros especiais em proteção solar que acompanham este tipo de tecnologia avançada. Este tipo de vidro, possibilita repelir calor, a incidência de raios solares e ao mesmo tempo ajuda oferecer a iluminação adequada para o ambiente. Este vidro permite que passe a luz visível e evita que entre os raios ultravioletas, resultando na preservação dos móveis da casa.
Nem sempre um vidro de controle solar é refletivo, ele poder também neutro. Hoje em dia, existe no mercado vidros neutros que oferecem este tipo de controle solar.

VIDRO SERIGRAFADO

Vidro serigrafado é um tipo de material que recebe desenhos ou cores através de silkscreen com tinta especial e ele é pintado a quente. Esse material é fixado em um vidro sob elevadas temperaturas e se baseia num processo de pintura e têmpera.

VIDRO SERIGRAFADO, COMO É PRODUZIDO?

Vidro serigrafado é produzido quando se deseja aplicar a imagem ao vidro através de uma tela de poliéster e assim transferida para a placa de vidro pintada e gravada a quente por emissão luminosa. O material aplicado sobre o vidro é um esmalte cerâmico ou esmalte vitrificável. Onde o processo se assemelha o de uma revelação fotográfica.
O produto é uma combinação de frita (elemento vítreo) e pigmentos inorgânicos à base de óxidos, estabilizados em alta temperatura. Com isso, o esmalte segue as propriedades do vidro por se tratar de uma composição vítrea. Depois que o esmalte cerâmico foi aplicado, o float passa pela têmpera que é submetido a um tipo de tratamento térmico.
Após ser fundida a mais de 560 graus, a tinta adere à peça, resultando uma impressão com grande resistência a riscos e manchas de gordura. Então, o vidro float transforma-se em serigrafado e temperado, sendo mais resistente que o comum. Podem também ser serigrafados alguns tipos de vidros refletivos, desde que a metalização resista à têmpera, contribuindo com ganhos em controle solar. Quando aplicados em situações que exijam segurança, como fachadas, coberturas, escadas e guarda-corpos, a norma indica que os serigrafados devem ser laminados.

VIDRO SERIGRAFADO E SEUS BENEFÍCIOS

Além de ser decorativo, o vidro serigrafado possui várias funções. Nos fornos elétricos e micro-ondas, protege e esconde a lá térmica que mantém o calor interno. Entre seus benefícios tem como função, bloquear os raios solares (ultravioleta e infravermelho) que causam a perda da aderência da cola usada na fixação dos vidros.
Também se utiliza muito a serigrafia para encobrir pontos de colas e algumas peças internas de produtos. Entre seus benefícios estão suas características em transparência e translucidez obtidas a partir de desenhos aplicados e cores, da qual correspondem de 0% a 100% de cobertura da superfície do vidro, opção de sombreamento em fachadas e coberturas.

VIDRO SERIGRAFADO E SUAS APLICAÇÕES

O serigrafado possui uma variedade extensa em opções de cores e desenhos para sua criação e aplicação. Com frequência são aplicados em produtos de linha branca e em automotivos, também o vidro é utilizado em móveis e construção civil. A serigrafia pode ser empregada em vidros refletivos, desde que a metalização resista á tempera resultando, ganhos em conforto térmico e controle solar.
A variedade de opções em cores e desenhos possibilita a aplicação e o desenvolvimento do serigrafado com bom aproveitamento em qualquer tamanho de vidro.

BOX PARA BANHEIRO

Box para banheiro se deu através de uma ideia trazida dos Estados Unidos com a palavra box. Hoje em dia este segmento corresponde cerca de 10% do consumo de alumínio extrudado na construção civil de nosso país. Desde o início este tipo de segmento atende de micro á pequenas empresas que passaram a produzir esquadrias.
Os primeiros boxes não tinham perfis finos, pois eles eram perfis extrudados de 2,2mm de espessura tanto para boxes como para caixilhos. Depois de um tempo, estes perfis passaram a se tornar cada vez mais finos, chegando a 1,2mm.
Destaca-se também como outra indústria importante neste mercado as divisórias. Onde por sua vez edifícios novos do governo em Brasília recebiam o conceito de salas fechadas, com divisórias extrudadas em alumínio e fechamento de madeira aglomerado.

BOX PARA BANHEIRO E SUA HISTÓRIA

Após a década de 80, grandes empresas no mercado que eram especializadas se mantiveram, fazendo a venda para os instaladores kits fechados com os perfis e o fechamento. Com tudo isso, o alumínio foi conquistando mercado em outros segmentos como o de móveis residenciais e de escritórios.

Trechos do livro: Esquadrias do Alumínio no Brasil