VIDRO LAMINADO PARA ESQUADRIAS DE ALUMÍNIO

VIDRO LAMINADO PARA ESQUADRIAS DE ALUMÍNIO

Vidro laminado para esquadrias de alumínio é considerado como um dos melhores vidros para se obter segurança. Quando quebrado ele mantém os fragmentos unidos através de uma película de plástico, diminuindo possíveis riscos de acidentes.
Este vidro é composto por duas ou mais lâminas de vidro, unidas por uma ou mais camadas de polivinil butiral (PVB) ou etileno vinil acetato (EVA). Ao ser quebrado, os fragmentos ou estilhaços ficam presos em uma camada intermediária.
Quando há um impacto que não exerça pressão significativa para atingir e consequentemente furar o vidro, este produz um efeito como se fosse espalhando uma "raiz" ao bater, por exemplo, em um bloco de gelo.

VIDRO LAMINADO PARA ESQUADRIAS DE ALUMÍNIO E SEUS BENEFÍCIOS

O vidro laminado devido suas características principais de resistência e segurança, pode ser usado e gerar benefícios em diferentes situações:

Diminuição de som
Protege contra a entrada forçada
Resistência contra furacão e algum tipo de forte impacto
Protege contra a queda de vidro quebrado nas fachadas de edifícios
Proteção contra explosões e bombas
Protege em relação de roubos de vitrines de lojas
Resistência contra terremotos

VIDRO LAMINADO É SEGURO

Dentre todas estas situações, o vidro laminado é usado quando acontece um possível impacto como em vitrines, janelas, portas, grandes aquários e no principal vidro do carro como o para-brisa. Para quem precisa evitar possíveis danos corporais e garantir a segurança, este objetivo pode ser atribuído á portas e janelas, do qual são procurados para projetos de arquiteturas em casas, empresas e estabelecimentos comerciais.
Diante destas situações, outras vantagens que este vidro oferece são: o controle acústico e aumento de resistência proteção importantes na privacidade de um ambiente.

VIDRO LAMINADO, COMO É PRODUZIDO?

Vidro laminado é produzido através de uma técnica de fabricação de chapa de vidro laminado com duas faces ou mais de vidro conjugadas com uma película de polivinil butiral (PVB) ou o filme de etileno vinil acetato (EVA) interposta sob calor e pressão entre os vidros. O vidro comum e suas características de transparência e permeabilidade não são afetados no processo de laminação, porque suas camadas são idênticas.
Quando quebrada o laminado mantém as peças interligadas, o que possibilita a redução de lesões e acidentes. É importante destacar que este vidro só perde a estabilidade quando um dos vidros interligados possam quebrar, porém isso é muito raro de acontecer numa situação normal.

PVB e EVA, QUAIS SUAS DIFERENÇAS?

Durante anos, as películas PVB e EVA tem se tornado material de segurança padrão pelas indústrias na fabricação de vidro laminado. Visivelmente não se vê nenhuma diferença entre os dois vidros ainda mais se tratando de vidro comum.
Caso seja um PVB ele restringe a entrada de raio ultravioleta UV em até 99%. Vale ressaltar que quando for passar um silicone num vidro laminado ele deve ser de cura neutra para não agredir o vidro.
Mesmo sendo de materiais termoplásticos, tanto o PVB quanto o EVA possuem estruturas diferentes. Ambos são materiais poliméricos diferentes que podem ser utilizados para estruturas do vidro laminado.
Por muitos anos, o PVB tem sido um material de referência em laminação de vidro para as indústrias de construção civil e transporte. Porém, o EVA está entrando no mercado em razão de suas vantajosas propriedades.
Além de ser um bom material, ele também é capaz de oferecer todas as principais propriedades necessárias para o PVB. Podendo também ser capaz de superar algumas desvantagens do PVB.